O que o mundo inteiro precisa saber

Meriam Ibrahim diz que há questões que não podem ser escondidas e que há discriminação contra os cristãos no Sudão

27-sudao-mulher-preocupada
Na última parte da entrevista cedida por Meriam Ibrahim, no Parlamento Europeu, a cristã sudanesa deixa algumas declarações para a comunidade internacional.

“As pessoas do mundo inteiro precisam estar cientes disso, não só os cidadãos comuns, mas os diplomatas. As leis existem para ser seguidas, mesmo no Sudão, mas há questões que não podem ser escondidas e não podemos encobrir o que acontece por lá. Eles dizem que respeitam a liberdade de religião, mas não podem afirmar isto ao mesmo tempo em que prendem alguém por escrever um artigo contra o governo ou quando recriminam uma mulher por não estar vestindo um lenço na cabeça, entre muitas outras coisas”.

Meriam conta que o governo não quer mais igrejas no país.

“O governo sudanês também proibiu a construção de novas igrejas, alegando que desde a independência do Sudão do Sul, o número de cristãos, na região norte, diminuiu. Mas há milhares de cristãos vivendo no Sudão e também há muitos deles nas montanhas de Nuba”.

“Mesmo nas escolas cristãs, é possível ouvir as crianças recitando o Alcorão, porque há estudantes muçulmanos. Mesmo sendo um cristão, é necessário estudar o islã para poder passar nos exames e ir para a próxima série”.

A cristã foi questionada sobre as regras que todas as escolas devem seguir. “Você acha que isto é discriminação contra os cristãos?”

“Sim, é discriminação. É a imposição do sistema sobre as escolas. Os muçulmanos estudam sobre o islã e decoram o Alcorão. E os cristãos, também devem estudar sobre o islã”.

Ou seja, segundo a cristã, o fato de ser obrigatório a todos (muçulmanos e cristãos) estudar o islã, acaba induzindo as crianças à religião.

“Tudo isto faz parte do sistema. Eu tenho certeza de que, se os estudantes encontrarem algo de bom durante esse período, todos os cristãos podem se tornar muçulmanos”.

Ore pela igreja no Sudão e pelos cristãos perseguidos.

https://www.portasabertas.org.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *